Antes de mergulhar de cabeça na preparação do seu application, é importante entender bem como funciona o processo de tomada de decisão nas escolas top. Há um pouco de variação entre as escolas, mas o processo abaixo, descrito por um admissions officer de uma Top 10, é bastante representativo.

 

1.   O dia seguinte ao application deadline o application completo é impresso ou baixado num tablet (a grande maioria das escolas usa o iPad) e passado a um admissions officer ou a um membro da comunidade da escola (geralmente alunos do segundo ano contratados para esse propósito).

2.   O primeiro revisor do application – o admissions officer ou membro da comunidade da escola – lê todo o material em detalhe e recomenda ou não que o candidato seja entrevistado.

3.   Após passar pelo primeiro revisor, o application é enviado a um segundo revisor, desta vez certamente um admissions officer com ampla experiência na leitura de applications e um bom conhecedor dos objetivos e perfil de aluno que a escola busca. O admissions officer também recomenda o candidato a entrevistar ou não.
4.   Caso haja divergência entre os dois primeiros revisores em relação ao convite a entrevista, o application é encaminhado ao Admissions Director, o qual revisa o application novamente e toma a decisão sobre o convite à entrevista.

5.   Entre a terceira e quinta semanas após a application submission deadline o candidato é informado pela escola se está convidado a entrevistar ou foi rejeitado.

6.   Os convidados a entrevistar são geralmente oferecidos duas opções: entrevistar no campus da escola ou em uma cidade global próxima a sua cidade de origem. No Brasil, São Paulo e Rio de Janeiro são naturalmente as cidades principais. Algumas escolas trabalham com ex-alunos como entrevistadores (alumni), outras utilizam apenas entrevistadores profissionais treinados e calibrados pela escola (Harvard, MIT, Wharton).

7.   O entrevistador preenche um relatório que mistura elementos objetivos – uma matriz onde ele/ela julga o candidato em quesitos como habilidade de comunicação oral, clareza, simpatia, boa postura, lógica de suas histórias, motivação por liderar, interesse real pela escola – e subjetivos – onde ele relata as impressões gerais sobre o candidato e seus exemplos mais marcantes. No final deste relatório o entrevistador recomenda: (a) admitir, (b) admitir com cautela ou (c) não admitir.

8.   Uma vez que o relatório da entrevista (interview report) é recebido pela escola, ele é enviado ao Admissions Director, o qual provavelmente ainda não revisou o application. Após revisar o application completo, ele ou ela faz uma das seguintes recomendações: (a) admitir, (b) enviar ao Admissions Commitee (Ad Com), ou (c) rejeitar o candidato.

9.   Caso todas as recomendações sejam para admitir o candidato, ele/ela é enviado a tão esperada admissions letter. Caso hajam divergências entre as recomendações, o application é revisado novamente por um comitê (Ad Com) que debate os méritos do candidato, fazendo a recomendação final para o Admissions Director: (a) admitir, (b) colocar em lista de espera (waitlist), ou (c) rejeitar.

 

Como visto, é um processo complexo que as escolas levam muito a sério. Seguindo o fluxo acima, um application de sucesso passa pelas mãos de pelo menos 4 leitores críticos, por isso a importância em gastar um período significativo refletindo e preparando seu material. Recomendamos ao menos 4 meses, idealmente 6 meses, para o resgate de suas histórias, pesquisa sobre as escolas e rascunho de sua visão de futuro e o papel da escola em torná-la realidade.

O seu objetivo como candidato é impressionar seus leitores a ponto deles dizerem “que legal, eu quero que essa pessoa faça parte da minha escola!”. Assim, seu material escrito deve transmitir não só seus feitos profissionais mas também sua personalidade e mostrar o quanto sua presença agregará de valor à escola.

© Copyright - TopMBA Coaching - CNPJ 21.597.705/0001-08