Metodologia

O nosso trabalho é auxiliar nossos clientes a resgatar e costurar histórias que definem suas personalidades, resultados passados e intenções futuras. Ajudamos nossos clientes a mostrarem seus best selves ao admissions committee das top schools, da mesma forma como o marketing de um produto inovador é comunicado. Identificamos, com o cliente, seus pontos fortes e fracos e traçamos um esboço que conecta seu passado, presente e futuro de forma coerente, apaixonada, ambiciosa e possível.

O nosso trabalho não é escrever o application pelo cliente ou garantir que a nota do TOEFL, do GMAT/GRE e as traduções juramentadas sejam completados com sucesso e dentro do prazo. Estamos juntos ao longo de todo o processo e estaremos sempre lhe dando um push para que alcance o seu melhor resultado, mas lembre-se: se você quer entrar numa escola top o mérito deve ser seu.

Nossa metodologia para o 360Coaching, desenhada a partir de nossa experiência, feedback com clientes e nas melhores práticas de coaching (Harvard Business School), é composta por 2 fases, conforme descrito abaixo. Por isso, quanto mais cedo você der a largada maiores suas chances de sucesso!

Nós somos apaixonados por filosofia. Não por teoria ou memorização de nomes e datas, mas sim pelo seu princípio fundamental: questionar de forma racional o por quê de nossas crenças e ações, objetivando cada vez mais entender o mundo e nós mesmos. Veja abaixo nosso artigo publicado na Harvard Business Review Brasil.

360Coaching: 2 fases para chegar no programa dos seus sonhos

1. Fase Estratégica

Input

  • Reunião 1*: Kick off de apresentação da metodologia e discussão dos objetivos do cliente
  • Artigos inspiradores
  • Essays de sucesso
  • Ferramentas proprietárias para reflexão guiada e mapeamento de crucible moments, desenho de visão de futuro e brainstorming de learning goals com a pós-graduação no exterior
  • Reuniões 2 e 3: discussão e aprofundamento das ferramentas trabalhadas pelo cliente, com brainstorming, orientações e next steps
  • Templates e modelos de CV concisos e de impacto, no formato desejado pelas escolas e pelo mercado (1 página)
  • Resume verb list
  • Ferramenta estruturada para a comparação e análise de escolas e potenciais profissionais que serão seus recomendadores
  • Reunião 4: discussão de escolas com melhor fit ao cliente, e mapeamento dos recomendadores mais adequados

* As reuniões costumam durar de 45-60 minutos e normalmente são realizadas por Skype

Output

  • Suas histórias e crucibles que definem quem você é, aspira e de fato pode ser mapeados e identificados
  • Visão de futuro clara, inspiradora e alinhada com a proposta do seu programa
  • Learning goals para os programas coerentes com a proposta das escolas e amarrados a sua visão de futuro no curto, médio e longo prazo
  • CV que conte seu histórico profissional de forma objetiva, tangível e impactante, em 1 página, no formato recomendado pelas top schools e pelo mercado (seguimos o modelo de Harvard)
  • Mapeamento de escolas e recomendadores, com short-list dos programas e recomendadores mais adequados ao perfil e aspirações do cliente, com orientação de next steps para aprofundar o conhecimento/ relacionamento com a escola e orientar/ construir experiências tangíveis e de alto impacto com os recomendadores

2. Fase Tática

Input

  • Histórias de impacto e aspirações mapeadas na Fase Estratégica
  • Essay analysis e orientações produzidas pela equipe TopMBA
  • Essays de sucesso para escolas específicas
  • Exemplos de cartas de recomendação para escolas específicas
  • Atenção individualizada e premium coaching do seu Head Coach, com o olhar crítico e pragmático de ao menos mais um consultor da TopMBA
  • Rascunhos de seus essays e estratégia de cartas de recomendação

Output

  • Sua história passada e estratégia futura, com uma clara e coerente visão de quem você aspira ser e onde objetiva chegar
  • Materiais prontosessays, cartas de recomendação, CV, e entrevista – que comunicam seu passado, presente e futuro da forma mais autêntica, ambiciosa e inspiradora possível, com o máximo de coerência com a proposta de valor de cada escola

Filosofia vem do grego antigo philosophia, o que literalmente significa “paixão pelo saber”. De forma mais aplicável, no entanto, filosofar significa questionar e estudar assuntos existenciais do dia a dia, buscando entender o por quê de nossas crenças, medos, preconceitos, valores e ações. Um detalhe importante é que a filosofia busca responder essas questões através de uma perspectiva lógica, racional, removendo as camadas emocionais que normalmente obstruem nossa visão e assim chegando o mais próximo possível da verdade. Não significa, de forma alguma, ignorar as emoções, mas sim identificá-las e reconhecer seus papéis na nossa interpretação do mundo.

É através da filosofia, da análise racional dos nossos por quês, que identificamos nossos pontos fortes e fracos, traçando estratégias criativas e não convencionais para aprender, empreender e crescer mais. Aprendizado e crescimento pessoal, por sua vez, são pilares críticos para uma vida interessante e feliz, o que tem tudo a ver com o que o mundo precisa: indivíduos e líderes apaixonados pela busca da verdade e sedentos por aprender e fazer mais; gente, em primeiro lugar, honesta consigo mesma, capaz de analisar e interpretar o mundo de forma sensível e pragmática; líderes que valorizam o saber e que trabalham duro para que seus times aprendam e cresçam cada vez mais, gerando valor econômico tangível e valor social (e pessoal) intangível (é difícil medir felicidade). É exatamente por isso que na TopMBA Coaching aconselhamos candidatos a programas de MBA nas melhores escolas de negócio do mundo a se entregarem à filosofia.

Essas grandes escolas, como Harvard e Stanford, buscam candidatos com alta capacidade analítica (demonstrada através do histórico escolar e do GMAT, o teste de lógica que todo candidato deve fazer), sólida experiência de liderança (demonstrada através do currículo profissional, cartas de recomendação e sua própria história) e diversas habilidades comportamentais como criatividade e empatia, identificadas através de cartas de recomendação, histórias pessoais e entrevista. No entanto, o número de candidatos que batalham por uma vaga é dramaticamente maior do que o número de assentos que elas comportam, por isso a importância de contar histórias (através dos essays) de forma reflexiva, profunda e criativa.

As partes mais qualitativas do application são os essays e a entrevista (que normalmente acontece após a primeira etapa do processo seletivo, com a minoria dos candidatos recebendo o convite para entrevistar). Nos essays, as escolas buscam conhecer a pessoa por trás dos prêmios, das promoções de cargo, das experiências internacionais e entender o porquê de suas motivações e aspirações. Tendo passado pelo processo como candidato e como coach inúmeras vezes, afirmo que responder perguntas como “o que importa para você e por quê?” não é nada fácil, e as melhores respostas envolvem desconforto e muito tempo de reflexão (recomendamos no mínimo 3 meses).

Os essays que mais me impressionam são aqueles que mergulham profundamente na razão por trás de suas ações e forma de pensar, demonstrando autoconhecimento, resiliência, foco, vulnerabilidade e uma motivação imensa para deixar o mundo melhor. Eles são sempre específicos em seus objetivos e suas histórias do passado são indicativas de que aquele candidato é o ideal para agir naquela causa que tornará o mundo melhor. O papel do MBA e da escola como facilitadores da execução de sua visão de futuro também é demonstrado de forma coerente, clara e precisa.

Não há fórmula mágica e certeira para um application de sucesso, mas sim um processo filosófico de reflexão e resgate de quem realmente é o candidato e o que ele busca com o MBA. Um fator de sucesso que observo em clientes, colegas da própria Harvard, e amigos é a busca por experiências de aprendizado não convencionais. Não basta simplesmente ir para a melhor universidade, tirar as melhores notas, entrar na melhor empresa e ser promovido ao melhor cargo. Isso é importante, mas as escolas de negócio estão cientes de que o mundo precisa de líderes criativos, que busquem soluções novas para problemas novos, e essa sede por aprender através de canais alternativos é indicativa de uma forma inovadora de raciocinar, de agir e de solucionar problemas. Em paralelo a atividades principais como universidade ou emprego no mundo corporativo, essas pessoas demonstram aprender, e empreender, através de atividades extracurriculares como envolvimento com esportes, escolas, ONGs, startups, viagens e soluções únicas para suas necessidades de aprendizado e crescimento.

Vale destacar que uma vez aceito numa dessas escolas, os programas de MBA de Harvard e Stanford, por exemplo, oferecem cursos inteiros dedicados à arte de filosofar com o intuito de desenvolver o seu estilo de liderança mais autêntico possível. Harvard oferece a disciplina eletiva Authentic Leadership Development, a qual envolve encontros semanais em grupos de 6 pessoas além da sala de aula. Como ex-aluno desse curso afirmo que a experiência me ajudou a navegar incertezas pessoais e profissionais e certamente me deixou uma pessoa mais forte e ciente dos meus pontos fortes e fracos. Com uma visão mais clara do que faço bem me sinto mais confortável a arriscar e a experimentar possibilidades profissionais e pessoais inusitadas, como o que venho fazendo há 7 meses. O futuro continua incerto, mas essa incerteza é o que me motiva já que sei que sou 100% responsável por ele, e esse empoderamento me deixa feliz.

Finalmente, a filosofia oferece a possibilidade de questionamento, invenção e reinvenção a todos nós, candidatos a MBA ou não. Ela oferece um mecanismo estruturado e racional para uma vida mais rica e interessante, exatamente como propomos no transforME, nosso canal de ideias e ações para uma vida melhor.

Fica a frase de um dos meus filósofos favoritos, o francês Henri Bergson: “o filósofo é antes de mais nada alguém sempre pronto para voltar a ser um estudante, não importando sua idade. Nós nascemos para aprender, como toda criança sabe mas a maioria dos adultos esquece”.

Escrito por Alex Anton (TopMBA Coaching) e originalmente publicado em:

Harvard-Business-Review-Brasil

Reading list

Segue uma lista de livros interessantes sobre o assunto, todos encontrados na Amazon ou na sua livraria de preferência:

65 Successful HARVARD Business School Application Essays. 2009. New York: St. Martin’s Griffin.

Butler, T. 2007. Getting Unstuck: How Dead Ends Become New Paths. Boston: Harvard Business Review Press.

Christensen, C., & Raynor, M. 2003. The Innovator’s Solution. Boston: Harvard Business Review Press.

Csikszentmihalyi, M. 2008. Flow: The Psychology of Optimal Experience. New York: Haper Perennial.

Ferry, L. 2011. A Brief History of Thought. A Philosophical Guide to Living. New York: Haper Perennial.

Flintoff, J.P. 2013. How to Change the World (The School of Life). London: Mcmillan.

Foley, M. 2013. Life Lessons from Bergson (The School of Life). London: Mcmillan.

George, B., McLean, A., & Craig, N. 2007. True North: Discover Your Authentic Leadership. New York: Jossey-Bass.

George, B., McLean, A., & Craig, N. 2008. Finding Your True North: A Personal Guide. New York: Jossey-Bass.

Haidt, J. 2006. The Happiness Hypothesis: Finding Modern Truth in Ancient Wisdom. New York: Basic Books.

Krznaric, R. 2013. How to Find Fulfilling Work (The School of Life). London: Mcmillan.

Wagner, T. 2012. Creating Innovators: The Making of Young People Who Will Change The World. New York: Scribner.